25 de dezembro de 2012

Feliz Natal!!!

                  Hoje é Natal!!! O que significa? Na verdade todos sabemos...
Acho tão lindo como as pessoas se aproximam uma das outras, 
penso que poderia ser Natal o ano todo.
Com certeza o mundo seria melhor... 
Seria tudo diferente. As pessoas demonstrariam mais o seu amor,
seja na forma de um abraço, um presente, de servir aquele almoço especial... 
Cada um tem o seu jeito de demonstrar o amor...
E se pensarmos bem, por que tudo isso acontece?

Por causa de Jesus.
Ele nasceu e desde então deu a vida por todos nós,
a cada dia.

Tenha um abençoado e feliz Natal!!!


18 de dezembro de 2012

Um pouco de nós com Cyntia Leite Le Bourlegat



             Com vocês mais uma autora do nosso querido livro Um pouco de nós...

Conheçam um pouco mais sobre Cynthia Leite Le Bourlegat


Quando e por que começou a escrever?

Gosto de escrever e contar histórias desde criança, principalmente no estilo crônica. Acho que a vontade vem do fato de eu ser uma observadora compulsiva, aí não me contenho e preciso escrever o que vi, ou que imaginei a partir do que vi.

Tem algo publicado?

Não, não, é só um hobby querido.

Qual o seu conto no livro "Um pouco de nós"

A mania passadista

Dá onde surgiu a ideia de escreve-lo.

O texto é um auto deboche, relatando a minha mania eterna de achar que tudo era melhor no passado. 
Vamos ver se alguém se identifica rs...

Qual foi a sensação de fazer parte deste projeto.

Nossa muito bacana esse projeto da Elaine e da digitexto, foi um prazer fazer parte deste livro, espero lê-lo em breve todinho, e conhecer um pouco de cada um dos autores

Deixe uma mensagem para aquele que buscam seus sonhos.

Guarde, exponha, corra, pare um pouco, respire, continue, salte, desvie, se precisar reformule, mas desistir não há porque, jamais!

www.falamae.com
@cynthiabourleg

17 de dezembro de 2012

Clube do Texto

             Hoje vim compartilhar com você um site/fórum que gostei muito.
Para vocês escritores iniciantes, intermediários e avançados...
Isso ai, cada um sempre tem algo a aprender, por mais que tenha muito conhecimento, sempre vai haver algo que de repente esquecemos e outros detalhes que nem percebemos o quanto é importante.

Se olho para trás, fico surpresa com o tanto que aprendi como escritora.
E tudo isso através de dicas, leituras e exercícios, além do companheirismo de pessoas em quem podemos confiar, mostrando nossos textos e esperando por críticas.
Sei que as vezes dói ouvir, mas é necessário para sermos bons escritores, além de que nos ajuda a ficarmos sempre humildes, com os pés no chão.
E essa é outra dica, existem escritores que acabam ficando um pouco orgulhosos quando percebem o sucesso de seus livros. Cuidado, isso acaba prejudicando a própria pessoa e também aos seus leitores. Por que não somos maiores e nem melhores que os outros, apenas vivemos os nossos sonhos de transformar as palavras em algo mágico na vida das pessoas, e quem sabe, até conseguirmos nos sustentar com isso.

Bom, falei de mais...rs...

Apresento a vocês o Clube do Texto



Um lugar onde além de dicas preciosas, você vai poder interagir e colocar as 
suas dúvidas e comentários. Há, você pode também colocar um conto seu lá. 
Isso mesmo, e as pessoas irão comentar sobre o que acharam.

Um lugar todo especial para você que quer aprender mais sobre a arte da escrita.

Então corra e comece a sua leitura... Não irá se arrepender!

Vamos lá pessoal!!!



Um pouco de nós com Rodolpho Padovani

        Com vocês, uma entrevista com Rodolpho Padovani...

Quando e por que começou a escrever?

Comecei a escrever desde pequeno, quando eu "produzia"
livros ilustrados para o meu irmão, depois disso
a escrita surgia apenas em trabalhos escolares e em
rabiscos em um caderno que era então escondido para
ninguém ver. Quando eu criei meu blog comecei a escrever
com mais frequência e foi quando decidi que queria
escrever um livro e uma empreitada como essa requer
coragem e dedicação, felizmente consegui terminá-lo
no meio desse ano e pretendo publicá-lo quando for possível.

Tem algo publicado?

Tenho um conto publicado no livro "O escritor que nunca viu e
outras histórias", esse livro foi fruto de um
concurso cultural, no qual com grande alegria conquistei o
primeiro lugar, então o livro leva o nome do meu conto.

Qual o seu conto no livro "Um pouco de nós"?

Meu conto no livro é "O sabor do nada".

Dá onde surgiu a ideia de escreve-lo?

Bem, assim como a maioria das minhas histórias, o conto me pediu para ser escrito, eu mergulhei na frase
que escolhi de inspiração e escrevi um conto diferente de todos os outros que já fiz, principalmente por ele
ter um fundo tão verdadeiro que muitas pessoas fingem não ver.

Qual foi a sensação de fazer parte deste projeto?

Foi incrível, afinal eu descobri o projeto por acaso e logo de cara decidi que participaria e eu realmente não
esperava que meu conto pudesse estar entre os 25 escolhidos e foi uma grande emoção quando eu fiquei
sabendo que tinha sido escolhido para fazer parte do livro.

Deixe uma mensagem para aquele que buscam seus sonhos.

Acredito que os sonhos são partes que formam quem uma pessoa é, e portanto não há como viver sem sonhar.
Digo para aqueles que sonham que acreditar é o primeiro passo, enquanto houver fé de que aquele sonho pode
se realizar há que se seguir em frente e lutar por ele.

Aqui vai o link do blog: http://aartedeumsorriso.blogspot.com.br/
E meu perfil do facebook: https://www.facebook.com/rodolpho.padovani


13 de dezembro de 2012

Entrevista com Bianca Carvalho



               Olá gente querida! Prepare-se, tire seus sapatos e pegue
o seu cafézinho, ou melhor, um suco bem geladinho e venha
prestigiar comigo mais um novo talento.

Com vocês, a nossa querida Bia Carvalho

Vamos lá...

Quem é Bia Carvalho?

Bia Carvalho é uma mulher decidida, simpática, teimosa, com um eterno jeito de menina, adora jogar videogame, ler, colecionar livros, curte animais e música, além de ter o sonho de poder escrever 24h por dia.

Como começou a escrever?

Comecei a escrever muito cedo, ainda criança, quando criava minhas historias de príncipes e princesas. Aos 14 anos, escrevi meu primeiro livro, mas o deixo escondido na gaveta até hoje. Em 2010, escrevi Jardim de Escuridão e compreendia que era a hora certa de começar a ingressar nesse mundo que hoje tanto me encanta.

Fale um pouco sobre a Trilogia das cartas.

A Trilogia das Cartas conta a história de Lolla, uma mulher idosa e vidente, que deixa 3 cartas para cada uma de suas três netas, contendo um último pedido para cada, sendo que esse pedido iria mudar o curso do destino de cada uma. Todas as três netas possuem também um dom especial. A primeira delas, do livro Jardim de Escuridão, é a Faith, que possui o dom de compreender as flores. Seus significados lhe trazem visões de coisas que podem vir a acontecer, desde o nascimento de uma criança até morte. O pedido de Lolla faz com que Faith conheça Rowan, um homem sedutor que possui o trauma de ter uma irmã assassinada, e é assim que começa a história do primeiro livro da trilogia.
Segue um quote para dar um gostinho:

"Faith, querida, não pense que suas flores não são parte de alguma magia. Você tem realmente o dom de compreendê-las, de ver além de suas pétalas e suas belezas. Eu tinha o dom de ver através das barreiras do tempo e o que vi para você, virá para compensar todo o seu sofrimento, que sem dúvida não foi em vão."

Como foi o processo de divulgação do seu livro?

Eu gosto de lidar com pessoas, portanto, sou bastante próxima dos meus leitores. Acho que conversar com as pessoas, apresentar seu livro a elas, mesmo que seja por uma mídia social, é o melhor caminho. Além disso, os blogs são muito importantes nesse processe de divulgação.

Qual foi a sensação de pegar o livro pela primeira vez em suas mãos?

Foi indescritível. Foi como ter um sonho de muitos anos nas mãos. Todo o trabalho, todo estresse vale a pena... 

Qual escritor (a) é a sua inspiração?

Com certeza, Nora Roberts =)

O que você acha da literatura nacional atualmente?

Estou muito orgulhosa da literatura nacional. Temos grandes autores, alguns deles estão seguindo um caminho muito promissor, o que nos dá esperança de que ainda teremos muitos mais leitores. A quantidade de boas histórias que estão surgindo, as editoras começando a dar oportunidades e os escritores saindo das gavetas, são coisas que me fazem ver uma luz no fim do túnel e ter ainda mais vontade de continuar.

Deixe uma mensagem para todos aqueles que estão batalhando por seus sonhos.

Jamais desistam. O caminho é árduo, as portas podem parecer sempre fechadas, mas uma janela sempre se abre. Cabe a você decidir se vale a pena pular ou não. Só posso dizer que o valor de um sonho realizado é algo que ninguém pode tirar de você.

Conheça as redes sociais da autora




11 de dezembro de 2012

Um pouco de nós com Cosmo

              Vamos conhecer mais um co-autora da coletânea Um pouco de nós.
Sinta-se a vontade e prestigie os novos talentos...

Quem é "você"?

 Meu nome é Cosmo de Athanázio. Tem um Araújo no meio que resolvi cortar (para decepção do familiares do lado dos Araújo). Gosto de me identificar como filho de Minas, adotado por São Paulo e apaixonado pela Bahia, sua gente, sua terra, seu jeito. Sou de libra, portanto sonhador. Sou mais emoção que razão. Tenho um coração que não vale nada, desobediente e tolo. Apaixona-se tão facilmente que me dá um trabalho incrível esse menino que insiste em não acompanhar meus 56 anos. Ama como um adolescente, é imaturo como um leonino e sofre como um adulto. Gosto de poesias, de cinema, de teatro, de gente. Hã? Você só queria saber meu nome, desculpe.

Quando e por que começou a escrever?

Não sei quando comecei a escrever. Olhando para trás percebo que tenho coisas escritas desde os meus treze anos, mas também fazia algumas "artes" antes dos 10. Minha irmã lia muitas fotonovelas e posso dizer que a primeira palavra que li sem saber ler foi em uma das revistas Sétimo Céu, Noturno ou Ilusão. Quando aprendi a ler eu costumava brincar de encenar essas histórias com alguns bonequinhos em miniatura e então eu fazia minhas próprias adaptações. Acho que foi daí que nasceu a paixão pelos textos, pelos dramas. Me apaixonei muito cedo, e isso me inspirou muitas poesias adultas e doloridas para um menino de 13 anos. São poesias que nunca foram lidas por ninguém e que um dia espero ter coragem de mostrá-las.

Tem algo publicado?

Não. O conto no livro Um Pouco de Nós foi o primeiro. 

Qual o seu conto no livro "Um pouco de nós"

O título do meu conto é Malandrinha. Começa com a  a introdução de uma música com o mesmo nome.

Dá onde surgiu a ideia de escreve-lo.

Dessas inspirações que a gente tem de repente. Tive vontade de escrever sobre a idolatria, as pessoas que colocam num pedestal o ser que ama, sobre as pessoas que amam idolatradamente e não são capazes de suportar a verdade que este tão tão amado é uma pessoa normal, não é tão especial. O conto já o tinha desde 1984. Primeiro havia o adaptado, assim que soube das regras do concurso, para a frase do Machado de Assis: Não se ama duas vezes a mesma mulher. Depois de tanto mexer um pouco aqui, esticar um pouco ali percebi que a frase de Gilberto Braga e Ricardo linhares cairia bem no contexto do que acontece com o personagem,. "Pronto, morri..." deu um ar menos dramático à situação.

Qual foi a sensação de fazer parte deste projeto.

Participei porque uma amiga, fã de minhas colocações e pequenos textos no face me incentivou a escrever a biografia do pai dela. Então com o projeto aprovado postei no face que ia escrever um livro. Foi um tal de incentivos e elogios que me assustou de início. era muita gente torcendo por mim e querendo ler o livro que escreveria. O projeto não foi pra frente devido a alguns acontecimentos inesperados que aconteceram tanto na vida da minha contratante, como na minha. Depois uma outra amiga começou a me enviar sites de concursos literários e incentivar que participasse de algum deles. Confesso que foi difícil me desapegar do texto. O primeiro que iria mandar para o mundo afora, a minha apresentação, meu cartão de visitas.Havia vários "filhos" para escolher um e mandar embora de minhas gavetas. Chegou um momento em que achava que não conseguiria, achava que meus textos bobinhos demais, só serviam pra mim. Mas as pessoas que me liam no Face pensavam o contrário. então fui acreditando que tenho jeito mesmo e quase no prazo final conseguir enviar Malandrinha para o concurso. Arrependi mil vezes. Malandrinha ia dar vexame, ninguém iria se importar com ela. E se não me devolvessem? E se rissem dela e não com ela? Mas já tinha enviado, agora era só esperar. E como foi dura essa espera. quando a Elaine publicou que ria e chorava com alguns dos textos recebidos meu coração bateu descompassadamente. Estaria Malandrinha entre os textos que a faziam sorrir? Depois não falava-se mais do assunto e os meses pareceram anos. Quando finalmente veio o resultado e vi que minha Malandrinha estava entre os classificados para fazer parte do livro me enchi de orgulho e alegria. Foi como se anunciasse que meu filho nascera, nunca tive filho para comparar mas acho que deve ser a mesma a emoção. Eu nunca sonhara em ser escritor, agora sonho. eu nunca tive coragem de compartilhar meus textos, minhas inspirações, agora tenho. Quando recebi o livro prontinho, com meu nome na capa e tudo fiquei ansioso para ver como "vestiram" Malandrinha, como era ter um conto diagramado, arrumadinho num livro de verdade. Contive minha ansiedade e me torturei um pouco mais. Fui lendo e me deliciando com os contos que antecederam o meu até chegar na página onde estava a minha cria. Onde estava Malandrinha. E ri e chorei ao ler meu conto. MEU conto!

Deixe uma mensagem para aquele que buscam seus sonhos.

Não duvide de você se as pessoas acreditam. Se você gosta do que faz, você há de fazer bem feito. Persista. 
  
Quero ser seu amigo no face.

3 de dezembro de 2012

Sobre Uma vida que Surpreende

                                                                                                                                                                                  
Queridos leitores!!! Para aqueles que ainda 
não viram o último post sobre as novidades,
vou avisar novamente que "Uma vida que surpreende" foi tirado do blog por motivo de 
força maior.
Ele está participando de um concurso, e não 
poderia participar se estivesse no blog.
Espero que todos compreendam, se tudo der 
certo, ano que vem vai ser publicado, 
de uma forma ou outra, eu acredito!

Se você quer saber mais sobre "Uma vida que Surpreende" deixe seu e-mail nos comentários
que dou um retorno.

Agradeço a compreensão de todos.

2 de dezembro de 2012

Nova parceria - Divã da Tia eni

       Olá meus queridos! Apresento a vocês a nova parceria do blog.
Estou animada e espero que vocês gostem tanto quanto eu.
Conheça um pouco mais sobre o Divã
Como surgiu a ideia do Blog? E o nome?
O Blog surgiu de uma necessidade minha de escrever, desde cedo o universo das palavras me encantava e aos 7 anos passei a escrever minhas próprias histórias em cadernos pequenos por diversão. Cerca de dez anos depois estava eu escrevendo na internet e compartilhando minhas vivências e opiniões através do Divã da Tia eni. O Divã foi criado para tornar-se meu set analítico virtual, era o espaço onde poderia revelar um lado autêntico e verdadeiro através do heterônimo criado (Tia eni). Hoje sou estudante de Psicologia e acredito que tenha sido influência principal na escolha do nome “Divã”, o “Tia eni” se deu como brincadeira, “eni” seria a inicial de meu nome (N) e o termo “tia” utilizado para compor a proposta.
Quem escreve?
A autora sou eu, Nayara Fontenele, estudante de Psicologia, autora do livro O Amortecimento (com lançamento em janeiro de 2013), mãe de um casal de calopsitas e filha única, gente normal de vez em quando.
Um convite especial

        Olá leitores de “O reino de Betra” espero a visita de todos vocês no Divã da Tia eni, se você busca a leitura de boas crônicas e contos sobre os mais variados assuntos: Aquele é o lugar certo! Se você ficou curioso com o teor da entrevista: Lá é o lugar certo. Se você brigou com namorado, seu chefe te demitiu, seu personagem favorito acabou de morrer na página 347 do livro que você passou noites sem dormir lendo, seu cachorro está doente ou você apenas digitou qualquer coisa no google e veio parar aqui: Bem vindo ao lugar também! Não temos preconceito, terapia é coletivo e a inspiração é por conta da casa!


29 de novembro de 2012

Entrevista com Lilian Reis


         Prontos para mais uma entrevista e um lançamento?
Pois é, tudo isso num mesmo lugar. Pegue seu cafézinho, coloque seus pés
no sofá e vamos curtir e conhecer a história de Lilian Reis.

Vem comigo...

Quem é Lilan Reis?


Sou uma apaixonada por leitura e escrita,
amo cinema e rock anos 80 e 90.
Não posso negar que me identifico com
 músicas de bandas góticas, love metal,
e músicas espanholas; um exemplo,
Alejandro Sanz. Gosto muito de Pop americana
por influência de meus filhos. Amo séries de
 TV, assisto a quase todas e a minha
preferida é Vampires Diares. Sou mãe e esposa apaixonada. Uma das coisas
que mais gosto de fazer é me reunir com minha família. Pai, irmãs, sobrinhos
e participar de “momentos bobeira, bem família”, rrsrs. Nesses momentos me
liberto, deixo a minha palhacinha interior se aflorar, e estes, são os momentos
mais divertidos que passamos juntos. Momentos onde me permito tomar uma
 taça ou outra de vinho, minha bebida preferida. Deus me presenteou com uma
 família abençoada. Adoro estar com eles...
todos eles, e são muuiiiiitos.

Como surgiu o interesse pela escrita?

Bem, primeiro tenho de falar da leitura. Esta surgiu em minha vida quando ainda
tinha 13 anos, e, ao contrário de muitas pessoas, ninguém me influenciou.
Ao passar em frente a uma banca de jornal e revistas vi um livro, o qual tinha uma
capa linda, é claro, um casal apaixonado. Rsrsr.
Comprei o livro e a partir daí não parei mais de ler.

Escrever foi apenas uma questão de tempo. Resolvi colocar no papel o fruto de minha imaginação muiiito fértil escrevendo bilhetinhos, diários, cartas de amor e é claro,
para a escrita criativa foi um pulinho. Lendo os livros de romances eu me teletranportava
para aquela história e criava assim a minha própria história.Passei
por esta etapa e, meio que... me esqueci dessa paixão. Casei-me e fui trabalhar num
jornal aqui de Belo Horizonte.

Tempos mais tarde, após ver meus filhos já crescidos bateu aquela vontade de estudar,
fazer algo bacana. (Este, era um sonho antigo.) Aí, resolvi cursar Letras. Foi nessa ocasião
que me identifiquei ainda mais com a escrita. Escrevia deitada, sentada, de qualquer
maneira no quintal, na casa de meu pai, e o mais engraçado, levava minhas ideias até
para o banheiro. Rsrsr. É claro que eu escrevia era “top secret”, tinha vergonha de mostrar para as pessoas minhas ideias, meus delírios. Somente após receber palavras de incentivo de um professor – Prof. Dr. e também escritor, Luíz Roberto Wagner –, é que tive vontade de mostrar aos colegas de faculdade, que logo me encorajaram a ir fundo nessa profissão.

Tinha medo de ser criticada. Entretanto, no momento em que o Prof. Wagner elogiou-me,
saí de dentro do casulo onde me escondia e um sentimento chamado CORAGEM passou a dominar-me. Sempre fui expansiva, mas era com as pessoas próximas, todavia mostrar a
cara para todo o BRASIL seria uma decisão difícil, contudo as palavras de incentivo deste,
que me é tão querido e de quem nunca me esquecerei, foram definitivas. “Nunca deixe
 seus escritos no fundo da gaveta”. – ele disse. - Resolvi então seguir adiante e retirei todas as minhas ideias que se amontoavam dentro da memória do computador e imprimi, começando assim a dar vida a um novo sonho; o de mostrar para as pessoas o conteúdo de minha ilimitada memória.

Sei que é uma profissão difícil, nada é fácil! Sei que tenho um longo caminho pela gente. A literatura no Brasil ainda caminha devagar, mas existem editoras que abriram espaço para o escritor brasileiro e isso é muito bom. Por isso já podemos ver escritores brasileiros mostrando o quanto são bons e tão competentes quanto os estrangeiros. Diria que temos escritores até melhores.

Como foi o processo até conseguir uma editora para o seu livro?

Bem, como disse já tinha muita coisa escrita bem guardada na memória de meu computador. Assim que me senti encorajada pelo professor e pelos colegas comecei, então a assistir a vídeos relacionados à profissão. Aprendi muito com as dicas de Lycia Barros, nos vídeos que ela posta no YouTube e li muito. No ano passado devorei livros e mais livros em busca de conhecimento. Técnicas. Li um livro de Sônia Belloto, que acredito, foi muito importante, aprendi muito. Conclui que ler muito, e não só apenas um gênero, vários gêneros ajuda muito.

Bem, rsrsrs de posse da grande CORAGEM que adquiri, criei a sinopse e enviei para a editora. Antes, porém, tentei outras. Sempre via que não estavam recebendo originais, então, depois de algum tempo, entrei no site da Novo Século e resolvi preencher um cadastro. Eu mesma não acreditava que fossem gostar de minha história, uma vez que, sabia que o que estava “bombando” no momento era os romances do gênero fantasia; que, diga-se de passagem, adoro!

Esperei por um mês, mais ou menos, vislumbrando que poderiam sim, querer publicar a minha história. Ficava só imaginando... Porém quando vi que não recebia resposta,
acabei me esquecendo. (Bem, um pouco), sempre tinha um pouquinho de esperanças;
até que um belo dia estava escrevendo um conto e recebi uma mensagem que me fez gritar quase até ficar sem voz. Disseram que haviam gostado da sinopse e depois foi só negociação, as questões de contrato etc... E bota etc... nisso... Rsrsrs

Conte-nos, como surgiu a ideia de escrevê-lo.

Foi a coisa mais gostosa do mundo. Eu sempre gosto de falar de amor. Não me prendo a apenas um gênero. Quando digo amor, digo em todos os sentidos. Amor na vida real e
também fantasia.

A ideia de escrever “Eu, meu pai e meus outros amores”..., surgiu da necessidade de falar
de amor em todas as suas formas, ou pelo menos quase todas. Rsrsr. Queria abordar
amor paterno, materno, fraterno o amor por um cara, a primeira transa, o perdão e por aí vai... O livro aborda a primeira transa de forma amena, sutil, deliciosamente sensual e até inocente por parte de JADE, a protagonista; que vê a possibilidade com medo e dúvidas...


Fale um pouco mais sobre "Eu, meu pai e meus outros amores".

Bem, é a história de Jade é contada por ela mesma. Usei uma forma já usada por outros escritores. Cada personagem ganha voz em minha história. Então os outros também narram em determinado momento.

Jade nos conta, rapidamente de sua infância sofrida e amedrontada pelas constantes brigas dos pais. Conta como amava o pai e como ele fora importante para ela. A menina cresceu
longe do pai, que partiu para a fazenda que era sua outra paixão, pois se sentia cansado de tudo; das brigas e de ver Jade sofrer por causa dos ataques de fúria da mãe. Algum tempo se passou e ambos se casaram novamente. Jade era louca pelo padrasto, embora não sentisse
em momento algum que o padrasto era sua figura paterna.

Cresceu ressentida e revoltada com o pai a quem jurava que o odiava, contudo no fundo, ansiava por ele, pela sua presença. Tornou-se teimosa, arrogante e fútil.

Sua vida tomou outro rumo após o terrível acidente que vitimou a mãe e o padrasto. Jade então, sem perspectivas e sem alternativas é obrigada a largar sua vida, que ela acreditava
ser perfeita e partir para o mato, como ela dizia. Lá, é que tudo acontece...

Qual autor (a) é a sua inpiração?

Muitos. Poderia citar uns 100, mas gosto muito das histórias de Nickolas Sparks e Nora Roberts.

Seu lema é...

Viver um dia de cada vez como se fosse o último, com os pés no chão, amor e fé no coração.

Deixe uma mensagem para aqueles que lutam pelos seus sonhos.

O que poderia dizer? Nunca desistam de seus sonhos e nunca pensem que vocês não conseguirão. Vocês talvez sejam o diferencial. A novidade sempre é bem vinda! Passei a acreditar nisso, piamente.

Os contatos sociais da autora

@lilianarreis – twiter

Lilian Reis – Facebook

Skoob lilianarreis@gmail.com lilianrreis.escritora@gmail.com

Para mim, que estou entrando nesse ramo tão concorrido, é importante encontrar meios para fazer com que as pessoas conheçam nosso trabalho e nos conheçam. Adoro o trabalho dos blogs e parabenizo você, Joice Lourenço pelo seu trabalho.

Beijos Lilian Reis.





27 de novembro de 2012

Novidades e Cia...


            Olá!!!! Vim para compatilhar e explicar algumas coisas.



* Olha só que linda a primeira resenha que fizeram do meu livro "O reino de Betra".
Amei, amei, amei. Fiquei muito emocionada
 com o que li.
É maravilhoso sentir seus personagens
sendo descritos por outra pessoa \Õ/
Obrigada Denise pela resenha. Ficou fantástica!!!

                                                   Dá uma conferida aqui no Blog da Denise

* Tive alguns imprevistos, por isso não tenho colocado as entrevistas dos co-autores da
coletânea "Um pouco de nós". Mas creio que em breve tudo voltará ao normal... Não esqueci de ninguém!!! rs

* Um agradecimento ao amigo Lauro por deixar usar seu pc e a net para não deixar meus leitores
 na mão. Aproveitem e dão uma olhada no blog dele Restauração de Móveis. O blog foi eu que fiz,
e o trabalho dele é muitooo bom!!!

Para os meus leitores que estão junto comigo há um tempo e para os novos...
Aqueles que são fãs
de Uma vida que Surpreende. Tenho uma notícia sobre o livro.
Primeiro iria deixar o livro só para o blog. Mas, eu mesma não esperava na benção que
ele está sendo.
Por esse motivo vou ter que tirar do blog para enviar a uma editora e assim vocês logo
terão ele em suas mãos. O que acham? Estão comigo?

Os comentários serão todos guardados e colocado em uma postagem especial,
pois cada um deles é especial e único!

E tem mais, Uma vida que Surpreende vai se tornar uma trilogia!!! HuhuHu....

Quem está comigo??? <3>
Beijão a todos \Ô/


26 de novembro de 2012

Nova colaboradora Tetê Macambira


          Olá pessoas do meu coração! Venho apresentar a mais
nova colaboradora do blog.
Toda Terça-feira iremos aprender um pouco mais do
Português, o que essência para nós,
ainda mais quem escreve

Com vocês... Tetê Macambira




"Professora de português da rede particular,

apaixonada por literatura

e que nunca entendeu por que tanta confusão

com as poucas mudanças do acordo ortográfico".         


É isso ai... E vamos que vamos!!!

21 de novembro de 2012

Lu Piras e "A última nota" com a parceria de Felipe Colbert

                                

        Olá gente querida. É com prazer que convido você para mais uma entrevista com a querida Lu Piras. Hoje vamos falar sobre seu novo trabalho, em parceria com o escritor Felipe Colbert. O livro se chama "A última nota" e a história é maravilhosa!
       Então pegue seu cafézinho e vamos que vamos...

Como surgiu a parceria com Felipe Colbert?
Nos conhecemos por ocasião de um curso que o Felipe ministrou aqui no Rio de Janeiro, sobre estruturação narrativa. Depois, tornamos a nos encontrar no lançamento do seu livro “Ponto Cego” e no evento do grupo literário de que participo, Turnê Literária, em São Paulo. Ele entrou em contato comigo porque encontrou no meu perfil narrativo de romance, o que estava a procura para dar corpo a um projeto, cuja premissa já havia escrito há algum tempo. Eu fiquei lisonjeada com o convite, me interessei pela história, encarei o desafio e começamos a trabalhar juntos.

Conte a experiência de escrever um livro a dois?

A experiência deste projeto não poderia ter sido melhor. Nós tivemos um excelente entrosamento, não só entre narrativas e linguagem, mas também de metodologia de trabalho. Durante todo o processo de composição da história, ficamos em contato via e-mail e Skype (Felipe é de SP e eu sou do RJ), enviando cenas um para outro a fim de aperfeiçoarmos o texto e a estrutura. O Felipe ficou mais encarregado desta parte, uma vez que ele conhece a técnica. A partir de uma planilha que construímos juntos, minha responsabilidade foi transformar cada tópico de cena e dar corpo e vida à história.

Qual foi a sensação do término do livro. Vendo a capa e tudo perfeito?

A melhor sensação do mundo! Difícil descrever. Mas, é inigualável. A capa ficou do jeito que imaginamos e a diagramação, posso adiantar, que está linda.

Como está o coração em relação ao lançamento.

Estamos bastante ansiosos, uma vez que queremos muito que seja ainda em dezembro deste ano. A editora está bastante empenhada para que isso aconteça.


Sinopse:
Quando Alícia Mastropoulos se apresenta pela primeira vez como a principal violinista na Orquestra de sua Universidade, ela não tem ideia dos acontecimentos que este fato desencadeará. Decidida a tocar uma composição inédita deixada por seu falecido avô em vez da música programada, ela se emociona e erra a última nota, mas ninguém parece perceber. No dia seguinte, recebe a notícia que um jovem desconhecido é encontrado no coreto próximo ao local da apresentação e levado para um hospital. Quando acorda, ele não se lembra de nada, apenas chama pelo nome dela. Ele, o belo e misterioso rapaz de olhos azuis, é exatamente o que Alícia precisa evitar. Porém, a aproximação entre os dois se torna inevitável quando ela descobre que sua avó, Cecília, tomando conhecimento do caso, hospedou-o e ainda lhe deu o nome de Sebastian. Preocupada, Alícia pede que sua avó o afaste de casa, antes que a situação traga problemas para sua família e para o seu namoro com Theo. Percebendo a relutância da avó e incomodada com a proximidade cada vez maior de Sebastian, Alícia decide apressar o noivado com Theo, para a satisfação de seus pais, que veem com bons olhos um casamento entre duas famílias tradicionais gregas. Só que, aos poucos, ela começa a descobrir uma intensa atração pelo rapaz desconhecido, que a levará a entender, enfim, o mistério que o envolve, a resgatar histórias do passado e a tomar importantes decisões para o futuro

.
Quote:

“Quando você toca, você faz música. Quando você acredita, você faz mágica.”.


Deixe uma mensagem preparando o coração dos leitores para este novo lançamento.

Aos nossos queridos leitores, àqueles que nos conhecem através de nossos trabalhos anteriores (No Caso de Felipe, “Ponto Cego” e no meu caso, “Equinócio”)  e aos que ainda não tiveram a oportunidade de nos conhecer, gostaríamos de convidá-los para esse conto de fadas urbano que compusemos como se fosse uma pauta musical, com todos os sentidos bastante apurados.  A Última Nota é um livro envolvente, justamente porque ele tem um mistério e muito sentimentos aflorados.
Fiquem à vontade para nos contatar pedindo mais informações. É um prazer conhecer os nossos leitores. 



19 de novembro de 2012

Vida de escritora...




             Vida de escritor em processo de publicar seu livro de forma independente não é fácil.
Além de trabalhar fora para ajudar no sustento da casa, divide seu horário de folga entre as tarefas da casa
e as ideias que a perseguem, sentindo seu dedos começando a escreverem sozinhos.
Então, enquanto prepara a janta vai escrevendo e cuidando para a comida não queimar.
Jantou, escreve mais um pouco e depois vai dar abraços
e beijos no marido. O melhor é quando você tem um marido lindo,
querido, compreensível como o meu. E que também gosta de cozinhar...rs... Fica mais fácil...
           Não posso deixar de mencionar a hora do almoço, que entra no face e no blog,
para compartilhar e divulgar seu trabalho. Há, também tem as dúvidas cruéis da mente
de um escritor (a), em relação ao que escreve. Por mais que esteja maravilhoso o texto,
sempre de alguma forma, acha um defeito. 
Passa umas duas semana e  você acaba lendo o mesmo texto. "Agora sim, está bom!".
           Alguns podem pensar que é exagero passar tanto tempo na frente do laptop, mas
se você quiser correr atrás dos seus sonhos é assim mesmo. Claro que tem que haver
tempo para as coisas essências e certas prioridades. Isso é fato.
          Mas uma coisa eu aprendi, nada nesta vida nada é em vão.
Ontem meu blog era simples, quase não recebia visitas, até ficava desanimada por um tempo,
no entanto, continuei a batalhar por que acreditava em mim, e hoje fico maravilhada como tudo se transformou.
Tenho muito mais leitores que antigamente, muito pessoas dizendo que amam os meus romances.
Antes eram apenas capítulos do meu livro, hoje são entrevistas com autores nacionais maravilhosos.
       Com força, dedicação e muito trabalho podemos chegar lá, se esse for mesmo o propósito
de Deus para nós. Afinal, Ele mais que ninguém sabe sobre o nosso potencial e do que somos capazes.
E o melhor, é que Ele sonha junto com a gente.
       Agradeço a todos que estão fazendo parte deste sonho. Mas hoje faço um agradecimento
especial para uma querida pessoa que conhecia à pouco tempo e tem se tornado uma amiga
maravilhosa, sempre me incentivando e acreditando em mim. Graci Rocha; sou muito feliz por
poder ter conhecer! Amo as nossas conversas e aprendo sempre com você.

      Em breve terei novidades sobre o livro "Uma vida que surpreende".
Fiquem aguardando...rs...

Beijão a todos ;-)



          

18 de novembro de 2012

Um pouco de nós com Aline Mendes Gomes

        Olá gente! Mais uma autora para vocês conhecerem. Seu conto é "Esquecimento". 
Então sinta-se a vontade e aprecie a nossa conversa.

Quando e por que começou a escrever?

Escrevo desde os 8-9 anos. Naquela época eu já era apaixonada por livros, mas a maior influência mesmo eram as novelas (principalmente mexicanas - risos). De lá pra cá fui refinando meu gosto e muitas personagens diferentes começaram a surgir na minha cabeça ao longo dos anos.

Tem algo publicado?

Além do conto selecionado para '"Um pouco de nós", tenho um artigo publicado no livro "Tesouro Compartilhado" que foi lançado no início de 2012. O artigo "Exemplo de Fé" é uma pequena homenagem à memória do meu pai
Nesse momento estou em processo de edição/revisão/correção do meu primeiro livro de ficção "Mais que um sonho" (literatura juvenil cristã), se Deus quiser ele sai antes dos meus 30 anos (risos).

De onde surgiu a ideia de escrevê-lo.

[respirando fundo] Ele é bem diferente de todos os meus trabalhos já começados. O primeiro rascunho desse conto foi escrito em 2004 e quando surgiu o concurso eu tentei escrever outra coisa, mas não consegui. E como eu realmente queria participar, fiz uma rápida revisão/correção e enviei. Confesso que ainda estou muita surpresa por ele ter sido selecionado. É uma história triste e revoltante, e quando escrevi eu estava em um período da minha vida em que eu tentava entender as razões que levam um homem a abusar e violentar uma mulher que ele diz amar.

Qual foi a sensação de fazer parte deste projeto.

A ficha ainda não caiu (risos). Fiquei MUITO feliz, principalmente porque meu grande amigo da época de faculdade (Antonio Sodré Jr)também foi selecionado. Imagina a minha alegria em fazer parte do mesmo livro que ele, é uma honra.

Deixe uma mensagem para aqueles que buscam seus sonhos.

Só existem duas coisas que um escritor (e aspirante) precisa: Perseverar e escrever. E depois continuar perseverando e escrevendo mais ainda.

Aline Mendes Gomes
http://www.marykay.com/amgomes
http://www.alinemgomes.com
http://www.seriemel.blogspot.com

15 de novembro de 2012

Um pouco de nós com Soraia Cristina

           
            Hoje você vai conhecer a história desa mulher batalhadora e surpreender-se com sua força. Em seu conto "O que me assombra", as palavras saem do fundo se sua alma mostrando
a verdade de seus sentimentos

Convido você a conhecer essa nova autora e sua história de luta e vida.

"Eu sou atualmente professora na rede municipal de ensino de Foz do Iguaçu - PR, mas isso faz apenas 1 ano.
Tenho 42 anos de idade, e uma longa história de vida. Escrevi sobre o que me assombra, justamente porque cada dia é uma sobrevivência para mim.
Desde criança sempre tive jeito com as palavras. Sempre fiz boas redações, sempre tive notas altas em Português, e sempre amei ler. Lia escondido dos meus pais, que achavam que eu estava 'enrolando' para não fazer nada... Leio até bula de remédio!
Disso, sempre fiz bons textos, e até algumas poesias quando era menina.
Mas minha vida mudou muito de repente quando fiz 16 anos. Meu pai ficou doente, e foi diagnosticado com câncer de pulmão. No ano seguinte, durante o tratamento dele, minha mãe, então com 45 anos, teve um AVC que a deixou de cama para o resto da vida. No ano seguinte a isso, meu pai morreu. Éramos 3 meninas, com 22, 18 e 11 anos, respectivamente, sozinhas, com a mãe para cuidar. Nesse mesmo ano engravidei e casei. Foi tudo muito difícil. Tive 3 filhos com meu marido, e quando minha filha mais nova tinha por volta de 2 anos, meu marido teve uma convulsão, e daí pra frente foi um desespero, pois ele tinha um tumor no cérebro. Foram 4 anos de luta e 6 cirurgias na cabeça. Quase enlouqueci. Depois de 11 anos de casamento, ele faleceu. No ano seguinte, minha mãe faleceu também. 
Enfim, até hoje não me recuperei de tudo isso, apesar de estar casada de novo e ser feliz, tenho no total 5 filhos, todos grandes agora, porque ganhei dois do meu marido que também era viúvo.

Isso, só para te dar uma ideia de como tudo me assombra, desde o momento que acordo, até o momento de dormir.

Fui dona de casa esses anos todos. Escrevi num impulso e até hoje não reli o texto. Não contei pra ninguém que participei, nem agora. Estou esperando o livro chegar. Mas sempre tive vontade de escrever...
Só para registrar, devo ter passado alguma coisa dessa minha habilidade para um dos meus filhos, pois um dele já ganhou um concurso de Portugal com suas poesias, através da escola!"

            Apesar de tudo o que passou continua com o seu jeito alegre. Quem não conhece sua história 
não tem ideia de tudo o que passou.

Gostei muito de poder conhece-la um pouco mais e saber que apesar de tudo, é vitoriosa!




 renata massa