29 de novembro de 2012

Entrevista com Lilian Reis


         Prontos para mais uma entrevista e um lançamento?
Pois é, tudo isso num mesmo lugar. Pegue seu cafézinho, coloque seus pés
no sofá e vamos curtir e conhecer a história de Lilian Reis.

Vem comigo...

Quem é Lilan Reis?


Sou uma apaixonada por leitura e escrita,
amo cinema e rock anos 80 e 90.
Não posso negar que me identifico com
 músicas de bandas góticas, love metal,
e músicas espanholas; um exemplo,
Alejandro Sanz. Gosto muito de Pop americana
por influência de meus filhos. Amo séries de
 TV, assisto a quase todas e a minha
preferida é Vampires Diares. Sou mãe e esposa apaixonada. Uma das coisas
que mais gosto de fazer é me reunir com minha família. Pai, irmãs, sobrinhos
e participar de “momentos bobeira, bem família”, rrsrs. Nesses momentos me
liberto, deixo a minha palhacinha interior se aflorar, e estes, são os momentos
mais divertidos que passamos juntos. Momentos onde me permito tomar uma
 taça ou outra de vinho, minha bebida preferida. Deus me presenteou com uma
 família abençoada. Adoro estar com eles...
todos eles, e são muuiiiiitos.

Como surgiu o interesse pela escrita?

Bem, primeiro tenho de falar da leitura. Esta surgiu em minha vida quando ainda
tinha 13 anos, e, ao contrário de muitas pessoas, ninguém me influenciou.
Ao passar em frente a uma banca de jornal e revistas vi um livro, o qual tinha uma
capa linda, é claro, um casal apaixonado. Rsrsr.
Comprei o livro e a partir daí não parei mais de ler.

Escrever foi apenas uma questão de tempo. Resolvi colocar no papel o fruto de minha imaginação muiiito fértil escrevendo bilhetinhos, diários, cartas de amor e é claro,
para a escrita criativa foi um pulinho. Lendo os livros de romances eu me teletranportava
para aquela história e criava assim a minha própria história.Passei
por esta etapa e, meio que... me esqueci dessa paixão. Casei-me e fui trabalhar num
jornal aqui de Belo Horizonte.

Tempos mais tarde, após ver meus filhos já crescidos bateu aquela vontade de estudar,
fazer algo bacana. (Este, era um sonho antigo.) Aí, resolvi cursar Letras. Foi nessa ocasião
que me identifiquei ainda mais com a escrita. Escrevia deitada, sentada, de qualquer
maneira no quintal, na casa de meu pai, e o mais engraçado, levava minhas ideias até
para o banheiro. Rsrsr. É claro que eu escrevia era “top secret”, tinha vergonha de mostrar para as pessoas minhas ideias, meus delírios. Somente após receber palavras de incentivo de um professor – Prof. Dr. e também escritor, Luíz Roberto Wagner –, é que tive vontade de mostrar aos colegas de faculdade, que logo me encorajaram a ir fundo nessa profissão.

Tinha medo de ser criticada. Entretanto, no momento em que o Prof. Wagner elogiou-me,
saí de dentro do casulo onde me escondia e um sentimento chamado CORAGEM passou a dominar-me. Sempre fui expansiva, mas era com as pessoas próximas, todavia mostrar a
cara para todo o BRASIL seria uma decisão difícil, contudo as palavras de incentivo deste,
que me é tão querido e de quem nunca me esquecerei, foram definitivas. “Nunca deixe
 seus escritos no fundo da gaveta”. – ele disse. - Resolvi então seguir adiante e retirei todas as minhas ideias que se amontoavam dentro da memória do computador e imprimi, começando assim a dar vida a um novo sonho; o de mostrar para as pessoas o conteúdo de minha ilimitada memória.

Sei que é uma profissão difícil, nada é fácil! Sei que tenho um longo caminho pela gente. A literatura no Brasil ainda caminha devagar, mas existem editoras que abriram espaço para o escritor brasileiro e isso é muito bom. Por isso já podemos ver escritores brasileiros mostrando o quanto são bons e tão competentes quanto os estrangeiros. Diria que temos escritores até melhores.

Como foi o processo até conseguir uma editora para o seu livro?

Bem, como disse já tinha muita coisa escrita bem guardada na memória de meu computador. Assim que me senti encorajada pelo professor e pelos colegas comecei, então a assistir a vídeos relacionados à profissão. Aprendi muito com as dicas de Lycia Barros, nos vídeos que ela posta no YouTube e li muito. No ano passado devorei livros e mais livros em busca de conhecimento. Técnicas. Li um livro de Sônia Belloto, que acredito, foi muito importante, aprendi muito. Conclui que ler muito, e não só apenas um gênero, vários gêneros ajuda muito.

Bem, rsrsrs de posse da grande CORAGEM que adquiri, criei a sinopse e enviei para a editora. Antes, porém, tentei outras. Sempre via que não estavam recebendo originais, então, depois de algum tempo, entrei no site da Novo Século e resolvi preencher um cadastro. Eu mesma não acreditava que fossem gostar de minha história, uma vez que, sabia que o que estava “bombando” no momento era os romances do gênero fantasia; que, diga-se de passagem, adoro!

Esperei por um mês, mais ou menos, vislumbrando que poderiam sim, querer publicar a minha história. Ficava só imaginando... Porém quando vi que não recebia resposta,
acabei me esquecendo. (Bem, um pouco), sempre tinha um pouquinho de esperanças;
até que um belo dia estava escrevendo um conto e recebi uma mensagem que me fez gritar quase até ficar sem voz. Disseram que haviam gostado da sinopse e depois foi só negociação, as questões de contrato etc... E bota etc... nisso... Rsrsrs

Conte-nos, como surgiu a ideia de escrevê-lo.

Foi a coisa mais gostosa do mundo. Eu sempre gosto de falar de amor. Não me prendo a apenas um gênero. Quando digo amor, digo em todos os sentidos. Amor na vida real e
também fantasia.

A ideia de escrever “Eu, meu pai e meus outros amores”..., surgiu da necessidade de falar
de amor em todas as suas formas, ou pelo menos quase todas. Rsrsr. Queria abordar
amor paterno, materno, fraterno o amor por um cara, a primeira transa, o perdão e por aí vai... O livro aborda a primeira transa de forma amena, sutil, deliciosamente sensual e até inocente por parte de JADE, a protagonista; que vê a possibilidade com medo e dúvidas...


Fale um pouco mais sobre "Eu, meu pai e meus outros amores".

Bem, é a história de Jade é contada por ela mesma. Usei uma forma já usada por outros escritores. Cada personagem ganha voz em minha história. Então os outros também narram em determinado momento.

Jade nos conta, rapidamente de sua infância sofrida e amedrontada pelas constantes brigas dos pais. Conta como amava o pai e como ele fora importante para ela. A menina cresceu
longe do pai, que partiu para a fazenda que era sua outra paixão, pois se sentia cansado de tudo; das brigas e de ver Jade sofrer por causa dos ataques de fúria da mãe. Algum tempo se passou e ambos se casaram novamente. Jade era louca pelo padrasto, embora não sentisse
em momento algum que o padrasto era sua figura paterna.

Cresceu ressentida e revoltada com o pai a quem jurava que o odiava, contudo no fundo, ansiava por ele, pela sua presença. Tornou-se teimosa, arrogante e fútil.

Sua vida tomou outro rumo após o terrível acidente que vitimou a mãe e o padrasto. Jade então, sem perspectivas e sem alternativas é obrigada a largar sua vida, que ela acreditava
ser perfeita e partir para o mato, como ela dizia. Lá, é que tudo acontece...

Qual autor (a) é a sua inpiração?

Muitos. Poderia citar uns 100, mas gosto muito das histórias de Nickolas Sparks e Nora Roberts.

Seu lema é...

Viver um dia de cada vez como se fosse o último, com os pés no chão, amor e fé no coração.

Deixe uma mensagem para aqueles que lutam pelos seus sonhos.

O que poderia dizer? Nunca desistam de seus sonhos e nunca pensem que vocês não conseguirão. Vocês talvez sejam o diferencial. A novidade sempre é bem vinda! Passei a acreditar nisso, piamente.

Os contatos sociais da autora

@lilianarreis – twiter

Lilian Reis – Facebook

Skoob lilianarreis@gmail.com lilianrreis.escritora@gmail.com

Para mim, que estou entrando nesse ramo tão concorrido, é importante encontrar meios para fazer com que as pessoas conheçam nosso trabalho e nos conheçam. Adoro o trabalho dos blogs e parabenizo você, Joice Lourenço pelo seu trabalho.

Beijos Lilian Reis.





2 comentários:

Liliana disse...

Obrigada Joice! É muito bom essa interatividade com os leitores. Gostaria de aproveitar a oportunidade e dizer a todos que leiam a estória que escrevi de forma tão intensa e divirtam-se com as descobertas e o aprendizado de Jade em "Eu, meu pai e meus outros amores"
Beijos, Lilian Reis.

Anônimo disse...

A entrevista foi legal eu estou querendo saber do que vai acontecer com a história acabou a o que tá acontecendo

 renata massa