15 de novembro de 2012

Entrevista com Sheila Ribeiro Mendonça

            Quinta-feira, feriado. Ótimo para você conferir comigo esta entrevista.
Sheila é uma autora independente e aos poucos tem conseguido mostrar o seu trabalho.
Então, vem comigo e aprecie esta talentosa autora.


Quem é a Sheila?

Sheila é uma mulher intensa. As coisas comigo sempre são assim, tanto as boas, quanto as ruins. E as ruins costumam ser no grau mil me fazendo sempre renascer das cinzas, tenho conseguido...rsrs E nessa mesma medida eu sou com as palavras, AMO escrever. Estou sempre escrevendo, desde que me entendo por gente. Me definiria principalmente como razão demais e emocional de menos, mas como acredito que o ideal pra tudo nessa vida é o equilíbrio estou aprendendo, aos poucos, dosar esses dois sem ser muito intensa em apenas um dos lados. Me definiria como: sonhadora-intensa-pé no chão. (rsrs)

Como surgir a vontade de escrever?

Então, sempre amei escrever. Fui justamente fazer faculdade de jornalismo pela enorme paixão pela escrita. Não sei porque amava, mas amava, desde pequena. Sempre escrevi, mas não tinha onde colocar as minhas criações. Guardava em gavetas e às vezes até jogava fora. Não existia blog.

E a ideia de escrever “Cabra cega”?

Cabra Cega surgiu por acaso, mas de forma intensa logo depois de assistir ao filme Dormindo com o Inimigo. Me apaixonei pelo vilão, como possível forma de criar um também. E fiquei com ele na cabeça, até que imediatamente comecei a escrever Cabra Cega. A princípio tinha outro formato, insatisfeita e não conseguindo passar para o papel exatamente como eu queria guardei, pouco tempo depois voltei ao original e concluí.
Foquei no meu vilão, comecei pelo Gustavo, depois surgiu a Clara e o plano de fundo de toda a história.


Como foi o processo da divulgação do seu livro?

O processo de divulgação é um trabalho de formiguinha vagaroso e megatrabalhoso. Não fazia ideia da dificuldade e do retorno pequeno. Sou autora independente, então além de autora de Cabra Cega, eu sou a minha própria assessora, agente literária, divulgadora, distribuidora... e afins. Existem muitos blogs literários que ajudam, mas as divulgações raramente são revertidas em vendas, mas eles ajudam e muito a gente passar a não ser um autor totalmente desconhecido. Muita gente vê a gente, mesmo não comprando os nossos livros, as pessoas passam a nos conhecer e até a fazer contato e isso é muito gostoso. A divulgação é também forte e com resultados interessantes pelas redes sociais. É preciso ter foco e perseverança para não desistir porque escrever e publicar não são as partes mais difíceis. Mas quando a gente ama muito um trabalho até as dificuldades encaramos de forma diferente.

Conte mais sobre “Cabra cega”. 

Cabra Cega é o meu primeiro romance-suspense onde conto a história de um jovem casal que se apaixona perdidamente e resolvem viver essa história sem perder tempo com a passagem de namoro longo. Se conhecem, apaixonam e casam. Depois do casamento Gustavo mostra quem realmente é e numa possessividade e ciúme doentios passa a usar de artifícios como: agressão verbal, física, sexual, cárcere privado, sequestro, persuasão, fugas... Tudo isso no intuito de ter sua mulher, a Clara, somente para ele. E a história é desenvolvida nessa fuga constante do casal com a família dela e os amigos. Abaixo seguem dois parágrafos:



"Ao ver o marido com aquela cara demoníaca, que já conhecia, estremeu, fingiu não entender e o recebeu com carinho. Gustavo não queria carinhos e nem beijos, deu um tapa no rosto de Clara perguntando que cheiro era aquele. Clara, chorando, dizia não sentir nada e tentava convencê-lo de que não era em casa e que nada tinha acontecido. A sorte de Clara era que, a poucos segundos de Gustavo chegar, havia se desfeito da panela e assim não teria como ele descobrir, pois nunca verificava o lixo do lado de fora da casa.
Já à noite Gustavo foi ao shopping, ali perto, e rapidamente comprou um lindo vestido para a esposa. Era sempre assim, não havia sido a primeira vez que Clara tinha apanhado do marido e quando acontecia Gustavo, depois, chegava com presentes querendo fazer as pazes. E ela tinha que estar sempre disposta aos caprichos dele. Para Gustavo sua esposa sempre tinha que cumprir com os seus deveres conjugais. "

Na sua opinião, como vê a literatura nacional hoje?

Olha, ainda existe um preconceito e uma falta de interesse enormes, mas também é preciso reconhecer que já evoluímos bastante e a mudança já é consideravelmente importante. Hoje em dia, com a facilidade da internet, se divulga muito mais que ontem os livros nacionais. Isso é fato confirmado. Além dos blogs literários temos a divulgação dos próprios leitores nas suas redes sociais e tudo que vai para a internet anda na velocidade da luz, é muito rápido mesmo.  

Qual autor é sua inspiração?

Adoro Martha Medeiros e no lado internacional gosto muito do mistério e suspense de Ágatha Christie e Sidney Sheldon.

Dentro dos personagens que já conheceu, qual aquele que foi inesquecível?

Sabe que não lembro... nem sei se teria um assim inesquecível... assim de imediato não me veio ninguém na cabeça.


Deixe uma mensagem para aqueles que estão em busca dos seus sonhos

Não desista, NUNCA! Mesmo que o universo, principalmente os humanos-vampiros, te digam que seu sonho é uma bobagem ou impossível de realizar. Não acredite neles e sim no seu sonho. Vá, busque, corra atrás, se eu consegui você também consegue!





5 comentários:

Denise Beliato disse...

A Scheila é um exemplo de persistencia e coragem.
Gostei da entrevista. Sempre estou aqui lendo :)

She disse...

Minha linda, muito obrigada, toda divulgação tem um valor enorme! Só percebi que não revisei o texto das minhas respostas antes de te enviar e vi alguns errinhos aí como, por exemplo, a expressão "plano de fundo"... Ui! Saiu com a letra L, mas eu queria dizer "PANO DE FUNDO" expressão essa que vem do teatro... quando eles colocavam um pano de fundo para modificarem o cenário... hehe Enfim, me desculpa pelos erros! ;)
Beijo, beijoooooo!
She

edumanes disse...

A entrevistada é actriz
Ela bem sabe representar
Vive com certeza muito feliz
Gosta de entrevistas dar!

Ainda bem que é assim
A felicidade o melhor da vida
Continua a escrever sim
Cabra-Cega por muita gente é lida!

Boa quinta-feira para você,
amiga Sônia Amorim,
um beijo
Eduardo.

Turquezza disse...

Sheila querida já conheço muito você rsrs
Seu caminho está sendo seguido direitinho evai longe, muito longe.
Parabéns amiga.
Eu adorei o Cabra Cega.
Que venha outro bem rápido rsrsrs
Beijos para você
e para a Joice também, nossa querida divulgadora.

Gleize Costa disse...

Fiquei simplesmente DOIDA para ler esse livro...

 renata massa