29 de maio de 2013

Balanço...


" Costumo dizer que sou como uma criança que caiu do balanço e chora, mas que, no instante seguinte já está rindo e se divertindo como se nada daquilo houvesse acontecido. "


Ó pequena flor sem nome! Sou teu único namorado neste instante. Aponta-me com a cor do teu balanço, para qual lado se dança o vento.


A vida é assim, no balanço das ondas o mar nos leva a lugares inimaginávei; basta se entregar!

Balanço...

As mãos seguram as correntes.
Sinto vento em minha face, cabelos...
Após o auge, o retorno, de dorso...

Um comentário:

Albuq disse...

A vida parece um eterno balançar!

 renata massa