23 de outubro de 2012

Um pouco de nós com Aleska Lemos


           Olá gente!!! A nossa terceira entrevistada é 
a querida Aleska Lemos, 
autora do conto "Não foi dessa vez, querido poeta".
O que dizer? Amei a história. É envolvente, 
cativante e me fez sorrir várias vezes.
Fiquei com peninha de não ter achado o 
tal poeta... 
Outra história muito bem escrita!

Fique a vontade querido leitor e conheça um pouco
mais da autora de hoje

Quando e por que começou a escrever? 

Quando exatamente eu não sei. Desde pequena eu tenho uma 
boa imaginação, mas só vim a aprender a escrever direito com
ajuda do meu irmão aos nove anos mais ou menos. 
Sei que a primeira história envolvia minhas amigas da escola e 
um mundo encantado, mas nunca terminei de escrevê-la. 
Depois vieram muitas outras histórias, que eu me divertia 
escrevendo e ilustrando. Elas completavam o vazio da 
adolescência sabe? Eu era bem tímida, e acabei 
inventando amigos que tivessem afinidades comigo.

Tem algo publicado?  

Só uma redação da escola num concurso feito pela Folha Dirigida. 
Falei sobre o desabamento dos morros aqui no Rio de Janeiro.

Dá onde surgiu a ideia de escrever esse conto.

Bom, isso é um pouco constrangedor... 
o que posso dizer, é que foi uma tentativa de me redimir com alguém.

Qual foi a sensação de fazer parte deste projeto. 

Eu só acreditei quando a Jacilene me mostrou o resultado. 
Até o resultado eu estava certa de que não me escolheriam. 
Sempre vejo as minhas falhas, mas se não mandasse me 
culparia até o ultimo segundo por não ter tentado. 
Então, a sensação foi de puro alívio e gratidão por não ter 
desistido de mim mesma. 
É claro que também agradeço a oportunidade que a Digitexto 
e a Elaine criaram, assim como todos os jurados que me escolheram, 
mas o sentimento mais forte naquele momento, era a auto-realização.

Deixe uma mensagem para aquele que buscam seus sonhos. 

Há momentos em que nos perguntamos se não estamos nos iludindo 
ao perseguir um sonho. São nesses momentos que mostramos nosso 
cansaço  e ficamos frágeis aos comentários maldosos. 
Entendam que onde há luz há trevas, e a inveja sempre perseguirá 
aqueles que não são medíocres. Haverá multidões dizendo que você 
não pode continuar, pois querem estar no seu lugar, mas se você 
resistir, logo eles estarão à sua porta pedindo autógrafos e 
totalmente rendidos ao seu talento.

Conheça seu blog Diário de Bordo

2 comentários:

Alê Lemos disse...

Bom, certas coisas não foram feitas para ser, apenas para ensinar. Saí no lucro com essa experiencia doidinha rsss. Obrigada pela oportunidade Joice!

Bel Rech disse...

Bacana a entrevista e parabéns...
Paz e bem

Gostei e fiquei!

 renata massa